quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Estamos a consumir água própria ou imprópria?

Fomos confrontados com notícias contraditórias de resultados diferentes às análises das aguas da rede pública do concelho de nelas.
Duas entidades, a autoridade sanitária do concelho dava a água como imprópria em Canas e Nelas no período de 9 a 13 de Agosto de 2010 enquanto as análises feitas pela CESAB- davam a água como própria para consumo.
Devemos acreditar em qual das análises?
Será que se pode lançar a suspeita e descrédito nos resultados das análises?
A entidade responsável pelo abastecimento público - Câmara de Nelas, defende o resultado que considera a água própria para consumo e dá explicações baralhadas do que pode ter estado na origem do resultado que deu a água imprópria, como introdução na rede de agua de poços, ao mesmo tempo que se insurge em reunião de câmara, contra a publicitação dos resultados, que considera alarmistas.
Então a água que circulou e foi consumida estava ou não imprópria?
Esconder, a simples sugestão da omissão, é condenável e é um atentado á saúde pública. Quem pode acreditar numa autarquia que diz que talvez a introdução de agua de poços possa ter provocado um resultado de água imprópria?
Quem não se recorda que a autarquia de Nelas à revelia da autoridade sanitária, introduziu água da então barragem dos Valinhos (hoje praia fluvial) recentemente descontaminada, na rede pública de abastecimento num passado recente (1994)?





14 comentários:

Alexandre disse...

Alguns srs. de Moreira resolveram a questão de forma interessante.

Anónimo disse...

tudo se faz em Canas com a permissão do alcaide da Junta Lp, o que, para bom entendedor, água imprópria tem o seu acordo.

Não consta que a junta tenha questionado a câmara, era o minimo que podia fazer na defesa da saúde de quem os elegeu.

1000 e poucos eleitores acharam bem, beber agua imprópria

Anónimo disse...

porquê pagar por água imprópria?
qual a responsabilidade de quem distribui água inquinada?

Anónimo disse...

Bem que gostava de saber o que fizeram em Moreira.

Anónimo disse...

cambada fora da lei

doc disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
doc disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dlcanas disse...

esta gente vender agua imprópria para consumo não é novidade, fizeram-no com a água dos valinhos e passaram incólumes,
o povo NÃO SABE o que está a beber, e os responsáveis da câmara NÃO SÃO RESPONSABILIZADOS

Anónimo disse...

está descoberta a origem, a cãmara para poupar na compra da água a CM de Mangualde, introduz agua de poços na rede publica, NOMEADAMENTE DE POÇOS DA QUINTA DA CERCA,

um atentado a que as autoridades sanitárias deviam dar o encaminhamento devido, ou seja, comunicar ao mimistério público.

Anónimo disse...

como se chama um acto em que deliberadamente se introduz água IMPROPRIA na rede abastecimento público?

Anónimo disse...

água imprópria
e cada vez mais cara

Anónimo disse...

o que fizeram as autoridades?
que medidas preventivas e fiscalizadoras foram tomadas?

é que: "cesteiro que faz um cesto faz um cento"

Anónimo disse...

é isso mesmo anónimo, estamos entregues a malfeitores, outro nome não se descortina para quem introduz água na rede pública imprópria e á revelia das autoridades sanitárias, deixe-me só completar o ditado
"cesteiro que faz um cesto faz um cento,dêem-lhe verga e tempo"

cumprimentos

Anónimo disse...

a câmara já estará a aproveitar a agua da "praia fluvial dos valinhos" para a rede publica?